Leão deve ir com força máxima para o Clássico dos Clássicos

Já classificado para as semifinais do Campeonato Pernambucano, o Sport tem costumado mesclar em algumas partidas do torneio atletas da equipe titular e reserva. Foi assim em jogos contra o Salgueiro, Central e Serra Talhada. Mas no clássico contra o Náutico, pela penúltima rodada do Hexagonal do Título, o técnico Eduardo Baptista declarou que o Leão deve entrar com força máxima na Arena Pernambuco.

“Usarei o que tenho de melhor. Se tiver algum jogador com problema, posso segurar, mas temos três dias atá lá. A ideia é manter planejamento e colocar em campo o time que vai iniciar depois o mata-mata da Copa do Nordeste”, declarou.

O treinador também evitou apontar o Sport como favorito para o confronto. “Eles têm o objetivo de se classificar e será um jogo igual. Clássico nunca tem favorito, divide-se as responsabilidades. Eles virão pelo prato de comida deles. Precisamos ficar atentos porque espero um Náutico aguerrido”, pontuou.

Vale lembrar, porém, que o time não terá a presença do atacante Felipe Azevedo, que se lesionou na véspera do jogo contra o Sampaio Corrêa. O atleta só deve voltar a equipe leonina no próximo mês.




Santa tira lições de último encontro com o Serra

Sair derrotado por 3×0 para o Serra Talhada, no Nildo Pereira, no jogo de ida do Hexagonal do Título do Campeonato Pernambucano 2015, foi um golpe duro para o Santa Cruz. Mas deixou lições. Pelo menos é esse o pensamento dos jogadores corais, que esperam um desfecho completamente diferente no reencontro das equipes, no próximo domingo (22), no Arruda, pela penúltima rodada do segundo turno do Estadual.

“Lá foi um jogo atípico e esperamos não cometer os mesmos erros. Temos que entrar com atitude para minimizar isso e acrescentar acertos.  Vamos lutar pela vitória para dar um grande passo pela classificação. Temos a responsabilidade de ganhar dentro de casa e, com todo respeito ao Serra, temos que nos doar ao máximo para vencer”, afirmou o volante Edson Sitta.

Desfalque na última partida do Santa, contra o Central, Sitta deve voltar ao time titular diante dos sertanejos. Apesar dessa ser a probabilidade real, o jogador prefere não cravar sua titularidade. “Não sei, cabe ao Ricardo assim. Mas se ele precisar de mim, estarei à disposição”.




Fifa transfere Copa de 2022 para fim do ano e fará decisão em 18 de dezembro

AE-Depois de seis meses de um quebra-cabeça financeiro complicado, a Fifa oficializou nesta quinta-feira uma mudança histórica e definiu que a Copa do Mundo de 2022 ocorrerá no período do inverno do hemisfério Norte, modificando pela primeira vez a data de seu evento mais importante.

O Mundial do Catar ocorrerá entre os dias 21 de novembro e 18 dezembro, sendo disputado em apenas 28 dias. Geralmente as Copas ocorrem no meio do ano. Mas o projeto se chocava de frente com a Liga dos Campeões da Europa e os clubes já anunciaram que querem compensações da Fifa para modificar suas agendas para encaixar o Mundial.

A mudança é um reconhecimento generalizado de que, ao dar ao Catar a Copa do Mundo de 2022, os cartolas simplesmente ignoraram o fato de que seria impraticável jogar futebol no deserto no verão. Pelos critérios da Fifa, porém, quem organizasse a Copa teria de se comprometer a realizá-la em junho e julho.

Agora, a mudança está definida, deixando os demais países que se candidataram ao evento irritados pela alteração da data depois da escolha. No lugar de enfrentar temperaturas acima de 40ºC, a Copa será disputada a cerca de 20ºC.

Outra decisão foi a de que o Mundial de 2022 será mais curto que aquele disputado no Brasil em 2014 para que evite coincidir com o Natal. A ideia original previa uma final em 23 de dezembro. Mas o compromisso foi de que o torneio perderia alguns dias para ser concluído em 18 de dezembro. Assim, os clubes também teriam um prejuízo menor.

Segundo a Fifa, a Copa com início em novembro era “a única opção”. Isso porque o mês de fevereiro será destinado para os Jogos Olímpicos de Inverno, em Almaty ou Pequim. A Fifa decidiu não abrir um conflito com o Comitê Olímpico Internacional (COI) e aceitou evitar um choque entre os dois eventos. Thomas Bach, presidente do COI, havia deixado claro que a entidade não modificaria o período da sua competição.

Já o Ramadã no mundo islâmico começa no dia 2 de abril, o que dificultaria as operações de um evento em um país muçulmano nesse período, preferido pelos clubes europeus. Assim, a Fifa definiu agora, em reunião do seu comitê executivo, pela realização da Copa do Mundo de 2022 entre 21 de novembro e 18 de dezembro.




Náutico: Eliminado e Liso

Gustavo Lucchesi/FolhaPE

Não bastou a queda, agora veio o coice. Com a eliminação precoce na Copa do Nordeste, restou ao Náutico honrar sua história no Campeonato Pernambucano. Contudo, além de se encontrar em maus lençóis, o Timbu ainda ganhou problemas de última hora para o restante da competição. Não bastasse a vexatória derrota para o Salgueiro, a equipe comandada por Lisca perdeu nada menos do que dois zagueiros titulares para o jogo deste final de semana, justamente um Clássico dos Clássicos, contra o Sport. Além do prejuízo em campo, o Alvirrubro também deixou de ganhar R$ 250 mil pela classificação no Nordestão, dinheiro que seria importante para quitar algumas dívidas com o elenco e comissão técnica. Como nem tudo está tão ruim que não possa piorar, segundo a famosa Lei de Murphy, tudo isso acontecendo às vésperas do Clássico dos Clássicos deste domingo (22), contra o Sport.

Apesar de se encontrar atualmente no G4, o Náutico precisa dos pontos para carimbar o passaporte para as semifinais do Pernambucano. Sem os zagueiros Elivélton e Flávio, lesionados, Lisca terá muito trabalho para formar o miolo da zaga alvirrubra. As únicas peças de origem entre os reservas são Diego e Welton Felipe. Além deles, Niel e Dimas, formados na base, são outras opções menos prováveis. Com pouco tempo para digerir a eliminação na Copa do Nordeste, Lisca tem poucos dias para conseguir armar o time que encara o Sport, em jogo que pode ser decisivo para as chances alvirrubras de passar entre os quatro primeiros para o mata-mata.

A fraca campanha e o gol marcado pelo Campinense já nos descontos, não só eliminaram o time do Nordestão como também foram responsáveis por não reabastecer os cofres de Rosa e Silva. Caso conseguisse a classificação, o Timbu embolsaria cerca de R$ 250 mil. Tendo perdido ou deixado de ganhar, fato é que essa quantia fará muita falta ao Alvirrubro. Principalmente porque a diretoria do clube ainda pensa em contratar. “Estamos trabalhando a duras penas para contratar e para pagar todos aqui no Náutico. Esse revés foi duro, mas isso não quer dizer que iremos ficar parados. Estamos atentos. Vamos em busca de um zagueiro, um volante, um atacante, um meia e um lateral”, comentou José Barbosa, diretor de futebol.

Bastante abalado, o presidente alvirrubro, Glauber Vasconcelos, não escondeu o sofrimento pelo duro golpe na Copa do Nordeste. “Estávamos classificados até os 49 minutos do jogo do Bahia. Foi uma noite muito complicada. Uma noite para esquecer. Certamente, a mais dura da minha gestão. Até mais do que a perda do Estadual do ano passado, porque ali perdemos na bola”, declarou o mandatário.




O Novo locutor da Ilha, já caiu na graça da torcida leonina

11071525_1715362868690273_1678333565984858038_n

Com a saída de Júnior Vianna que levantava o grito da torcida do sport em dias de jogos, a diretoria de marketing do sport não poderia deixa pra traz, um grito que ficou conhecido na ilha em dias de jogos. E para isso contratou um grande radialista e profissional da área para rádio ilha. Trata se de Jotp Voice que já caiu na graça da torcida rubro negra nos jogos do leão na Ilha do Retiro.

 

 




Grande paredão País revela, meu time de coração é o Flamengo

Paredão do time rubro nos anos 1970, goleiro recorda seus 22 anos de carreira
Marcia Vieira

País fez história no América

Foto:  Reprodução Internet

Rio – O Fla-Flu decisivo do Carioca de 1963, selou para sempre o destino de um garotinho de nome incomum, nascido em Jurujuba, Niterói. Extasiado com a atuação espetacular do goleiro rubro-negro Marcial, que garantiu o título, o pequeno País não se conteve: “Ele tem mola no pé? Quero ser isso”, decretou o pequeno torcedor na arquibancada do Maracanã.

Cinquenta e dois anos depois, o ex-goleiro do América, Santos, Sport, ABC, Náutico e Olhanense (Portugal) ainda se emociona ao lembrar a longa caminhada desde aquela tarde iluminada no Maracanã. Aos 61 anos, País se aposentou do futebol, mas o futebol não deixou seu coração.

“Hoje sou um cidadão de bem procurando uma porta que se abra para fazer o que mais gosto que é ser treinador de goleiros”, diz com humildade o ex- jogador que mora com a família em uma casa modesta, em São Gonçalo.

Enquanto não surge o tão sonhado trabalho, País cuida do quintal da casa, vai à igreja louvar o Senhor e fecha o gol no time master do Flamengo, para a surpresa de muita gente. Apesar de ter jogado oito anos no América, clube que o revelou para o futebol, seu coração sempre foi rubro-negro.

“É paixão antiga, meu time de criança. Quando jogava contra queria ganhar de qualquer maneira, mesmo que tivesse que quebrar a perna, porque queria que me contratassem. Não aconteceu, mas depois que parei, ganhei esse presente ”, explica o ex-goleiro que fez questão de beijar a camisa 13 com o seu nome”.

Um amor que não dimunui em nada o seu carinho pelo América. “Americano é coisa sagrada, tem que tirar o chapéu. São fiéis, fervorosos. Tenho muito orgulho de ter começado lá”, ressalta.

País tem motivos de sobra para reverenciar a camisa vermelha. Em seu tempo, o América entrava em campo para disputar títulos e rodava o mundo realizando amistosos. Algo impensado para os dias de hoje. “É muito triste ver o América na Segunda Divisão do Rio. Pela sua grandeza não merece”, lamenta o ex-jogador que chegou ao América em 1970 a custa de muito sacrifício: “Morava em Jurujuba. Para treinar no antigo campo no Andaraí, acordava as três da madrugada e enchia dez barris de vinte litros de água. Vendia uma lata aqui outra ali, para tirar o dinheiro do pão, da passagem e ainda ajudar minha mãe. Fiz isso durante quatro anos”.

Como todo bom goleiro, País também engoliu alguns frangos. O pior deles até hoje não foi esquecido.“Em um jogo em um torneio em Goiás, a bola quicou na minha frente e passou debaixo da perna. Foi o maior frango da minha carreira”, admite. Mas à noite, no restaurante do hotel, o americano recebeu um apoio inusitado. “O Pelé veio falar comigo. Estava tão envergonhado, que não conseguia nem olhar nos olhos do Rei”, lembra. Mas Pelé foi carinhoso. “Garoto, você tem tudo para ser o melhor goleiro do mundo. Só vai tomar gol quem joga ali. Ainda vou te ver brilhar”. Profecia que se confirmou em 1978, quando ele foi jogar no Santos. Na Vila Belmiro, reencontrou Pelé. “Não te falei. Hoje você está no Santos, é um dos melhores”, disse o Rei.

País ainda jogou no Sport, onde marcou de pênalti seu único gol na carreira, no Náutico, ABC, antes de passar dez anos no futebol português. Em 1992, encerrou a carreira, no Olhanense, por causa de uma lesão no joelho. Nos 22 anos em que atuou fez jus ao estranho nome dado pela mãe. “As pessoas me chamavam de estado, município. Nunca ouvi um nome desse. Mas ela tinha certeza que um dia seria importante”. E foi.




COPA DO NORDESTE: Sorteio será Sexta(20) pela manhã

Vitória, Bahia, Ceará, Sport, Salgueiro, Fortaleza, América/RN e Campinense, conquistaram as vagas para a próxima fase da competição. O sorteio para os confrontos mata-mata, será realizado nesta sexta-feira (20). (PanoramaEsportivo)




Você sabia? Santo Amaro vice campeão brasileiro da série C – 1981

No ano de 1981, o Santo Amaro foi vice-campeão do Campeonato Brasileiro da 3ª Divisão. No dia 25 de abril, no Estádio Marechal Hermes (Rio de Janeiro), o Santo Amaro perdeu por 4 a 0 para o Olaria, com gols de Chiquinho (13′), Zé Ica (59′) e Leandro duas vezes (68′ e 70′). O árbitro da partida foi o baiano Nei Andrade Maia, e os times entraram com a seguinte escalação – Olaria: Hilton, Paulo Ramos, Pino, Marcos e Gilmar (Edvaldo), Ricardo, Lulinha e Leandro; Chiquinho, Sérgio Luís (Aurê) e Zé Ica. Técnico: Duque. Santo Amaro: Pimenta, Lula, Figueiroa, Moacir e Zuza; Rubem Salim, Luís Carlos e Valtinho; Savinho, Fabinho1 e Eliel. Técnico: Rubem Salem. O jogador Zé Ica, do Olaria, foi expulso.

PRIMEIRA FASE
DATA JOGOS IDA DATA JOGOS VOLTA
08/03
08/03
08/03
08/03
08/03
08/03
08/03
08/03
08/03
08/03
08/03
08/03
Atlético/BA 0x0 Capelense/AL
Corumbaense 0x1 Dom Bosco/MT
Santo Amaro/PE 1×0 Auto Esporte/PB
Matsubara/PR 0x1 Figueirense/SC
Izabelense/PA 2×0 América/AM
Colatina/ES 1×3 Olaria/RJ
São Borja/RS 0x0 Joaçaba/SC
Baraúnas/RN 1×0 ICASA/CE
Taguatinga/DF 1×0 Itumbiara/GO
Guarani/MG 1×0 Sergipe/SE
Moto Clube/MA 1×0 Piaui/PI
Madureira/RJ 0x1 Paranavaí/PR
15/03
15/03
15/03
15/03
15/03
15/03
15/03
15/03
15/03
15/03
15/03
15/03
Capelense 0x0 Atlético/BA
Dom Bosco* 3×3 Corumbaense/MS
Auto Esporte 3×3 Santo Amaro*
Figueirense* 0x0 Matsubara
America/AM 4×2 Izabelense/PA
Olaria* 1×1 Colatina
Joaçaba/SC 1×3 São Borja/RS*
ICASA/CE 1×3 Baraúnas/RN*
Itumbiara* 3×0 Taguatinga/DF
Sergipe 1×2 Guarani/MG*
Piaui* 5×0 Moto Clube/MA
Paranavai/PR* 5×1 Madureira/RJ
Jogo desempate: 17/03   América/AM 0x0 (0x2 penais) Izabelense/PA*
Jogo desempate: 17/03   Capelense/AL 0x0 (3×4 penais) Atlético/BA*
(*) equipes calssificadas para a próxima fase.
SEGUNDA FASE
21/03
21/03
21/03
21/03
21/03
21/03
Itumbiara/GO 1×3 Dom Bosco/MT
Santo Amaro/PE 1×1 Baraúnas/RN
Atlético/BA 2×1 Guarani/MG
Olaria/RJ 2×0 Paranavai/PR
Figueirense 1×0 São Borja/RS
Izabelense/PA 1×0 Piauí/PI
26/03
26/03
26/03
26/03
26/03
26/03
Dom Bosco/MT* 1×1 Itumbiara/GO
Baraúnas/RN 0x1 Santo Amaro/PE*
Guarani/MG* 2×1 Atlético/BA
Paranavai/PR 1×0 Olaria/RJ*
São Borja/RS* 3×0 Figueirense/SC
Piaui/PI 0x0 Izabelense/PA*
(*) equipes calssificadas para a próxima fase; o Guarani ganhou a vaga por ter melhor campanha na fase anterior.
FASE DE SEMIFINAIS
DATA  GRUPO A DATA  GRUPO B
02/04
05/04
08/04
12/04
16/04
19/04

1° –
2° –
3° -

 São Borja 2×0 Olaria
Olaria 2×0 Dom Bosco
Dom Bosco 2×2 São Borja
Olaria 1×0 São Borja
Dom Bosco 1×0 Olaria
São Borja 0x0 Dom Bosco

Classificação PG J V E D GM GS SG
Olaria           04  4 2 2 0 03  03 00
São Borja      04  4 1 2 1 04  03 01
Dom Bosco    04  4 1 2 1 03  04 -1

02/04
05/04
08/04
11/04
16/04
19/04

1° –
2° –
3° -

 Guarani/MG 0x0 Santo Amaro
Santo Amaro 1×0 Izabelense
Izabelense 2×1 Guarani/MG
Santo Amaro 2×0 Guarani/MG
Izabelense 1×1 Santo Amaro
Guarani/MG 2×1 Izabelense

Classificação PG J V E D GM GS SG
Santo Amaro  06 4 2 2 0 04  01 01
Izabelense     03 4 1 1 2 04  05 -1
Guarani/MG    03 4 1 1 2 03  05 -2

Olaria e Santo Amaro classificados para a final.
FINAL
Jogo de Ida: OLARIA 4 x 0 SANTO AMARO
Data: 25 de Abril de 1981   Local: Marechal Hermes (Rio de Janeiro/RJ)
Árbitro: Nei Andrade Maia (BA); Cartões Amarelos: Sérgio Luis, Serginho e Savinho; Expulsão: Zé Ica  –  Gols: Chiquinho 13min (1/T); Zé Ica, aos 14 e Leandro, aos 23 e 25min (2/T)
Olaria: Hilton, Paulo Ramos, Pino, Marcos e Gilmar(Edvaldo), Ricardo, Lulinha e Leandro; Chiquinho, Sérgio Luís (Aurê) e Zé Ica. Tecnico: Duque
Santo Amaro: Pimenta, Lula, Figueiroa, Moacir e Zuza; Rubem Salim, Luís Carlos e Valtinho; Savinho, Fabinho e Eliel. Tecnico: Rubem Salem

Jogo de Volta: SANTO AMARO 1 x 0 OLARIA
Data: 01 de Maio de 1981   Local: Estádio do Arruda (Recife/PE)
Árbitro: José Leandro Serpa(CE); Cartões Amarelos: Moacir, Zuza e Nunes
Gol: Derivaldo 35min do 2° tempo.
Santo Amaro: Pimenta, Lula, Moacir, Figueiroa e Zuza; Eliel, Betuca (Rubem Salim) e Luis Carlos, Savinho, Fabinho e Birino (Derivaldo). Técnico: Rubem Salem
Olaria: Hilton, Paulo Ramos, Salvador, Mauro e Gilcimar, Ricardo, Lulinha e Orlando; Chiquinho, Aurê (Nunes) e Leandro (Serginho). Técnico: Duque

* Com este resultado, o Olaria sagrou-se o primeiro campeão brasileiro da Série C




O Santa Cruz vence o Paulistano no Arruda por 2×0, conquista a 1ª fase do 2º turno

Para este jogo a diretoria do Santa Cruz solicitou à FPF apenas 6.500 ingressos, o que causou muito tumulto antes do jogo, pois faltaram ingressos para a multidão que invadiu o Arruda. Os dirigentes ainda conseguiram alguns ingressos (694) que sobraram da partida que estava sendo realizada no estádio dos Aflitos entre Sport x América para serem comercializados, mas ainda assim foram poucos. A solução foi dada pelo vice presidente à época, Gildo Vilaça, abrir os portões do Arruda.

Wanks chuta para fazer o primeiro gol tricolor

 

O chute de Wanks ultrapassa a linha antes do lateral Garapa tirar a bola

Aos 44 minutos surgiu o gol tricolor. Tanta dominou a bola na intermediária, driblou três defensores e, quando chegou à linha de fundo, Wanks antecipou o seu cruzamento e bateu para o gol. O lateral Garapa ainda tentou tirar a bola, mas ela já havia ultrapassado a linha do gol. No segundo tempo, logo aos 8 minutos, Cláudio virou o jogo da esquerda para a direita, Marinaldo dominou a bola e tocou para o artilheiro Mazinho que chutou sem chances para o goleiro Gilberto do Paulistano.

Santa Cruz: Banana, Marinaldo, Marcão (Fernando Silva), Tanta e Cláudio; Mázio, Ataíde e Mazinho; Leto (Fernando Lassálvia), Marcelo e Wanks.
Técnico: Erandir Montenegro
Paulistano: Gilberto (Garapa), Nilson, Noronha, Milton e Garapa; César, Roberto (Everaldo) e Dedé (Cafezinho), Lacrau, Robson e Rogério.
Técnico: Luciano Sabino Pinho

Árbitro: Aristóteles Cantalice
Auxiliares: Jair Pereira e Ernande Carneiro
Cartão Amarelo: Banana, Marcelo, Mílton, César e Roberto.
Renda: Cr$ 348.930,00
Público: 7.194 pagante




Túnel do tempo – 1992 – Participação na 23ª Taça São Paulo de Juniores

Este ano marcou a melhor participação do Santa Cruz na Taça Cidade de São Paulo de Juniores, dentre as 24 equipes que iniciaram a competição, o tricolor ficou na 6ª colocação geral, sendo eliminado nas quartas-de-final. Esta competição marcou a ratificação dos novos talentos do tricolor, principalmente Válber e Rivaldo. Entre outros, destacaram-se: Bianor, Reginaldo, Isaías, Serginho e Binha.

A Campanha:
Santa Cruz 1×0 Guarani
Santa Cruz 4×0 Botafogo/SP
Santa Cruz 2×2 Palmeiras
Santa Cruz 0x0 Ponte Preta (vitória nos pênaltis por 5×3)
Santa Cruz 0x1 Grêmio
21/01/1992 – Santa Cruz 1×1 São Paulo (derrota por 2×1 na prorrogação)

O time base:
Isaías; Joquinha, Wéllington, Reginaldo e Hudson; Bianor, Williams (Paulo César) e Válber, Serginho (Flávio Rizzo), Rivaldo e Binha.
Treinador: Ramón
Fisicultor: Fernando Galvão.

Os artilheiros do tricolor no torneio foram Sérginho e Rivaldo com 3 gols cada um.

Ainda no Aeroporto, os juniores Válber (E) e Rivaldo (D) foram bastante assediados pelo destaque que tiveram na Taça São Paulo, principalmente o Válber, que foi bastante elogiado pelo então técnico da equipe profissional do São Paulo, Telê Santana, que não se conteve e foi até os vestiários conhecer o atleta após o jogo entre São Paulo e Santa Cruz pelas quartas de final.
Fonte: É gol